Uma fé implicante

Uma fé implicante
9 de março de 2017

01:58


Espero que vocês tenham um bom dia 8 de março, estimado dia para vocês. Não espero que tenham recebido flores e chocolates, mas respeito e valorização.

Certa vez, no facebook, recebi um vídeo que veio de encontro ao que eu estava estudando para a mensagem que ministraria. O vídeo me trouxe à memória estatísticas assustadoras de violência doméstica de mulheres no meio cristão. Mulheres que sofrem nas mãos dos seus maridos teoricamente crentes, e nada podem fazer, pois desejam ser “mulheres virtuosas”. Nessa data, dia Internacional da Mulher, lindas pregações são feitas falando como ser uma “mulher virtuosa”, mas hoje quero de forma rápida pensar e desafiar a nós, homens, a termos uma perspectiva correta do valor da mulher.

As Mulheres não são objetos ou animais, elas foram criadas por Deus não para satisfazer necessidades fisiológicas ou como escravas particulares. Elas refletem a imagem de um Deus vivo e por isso devem ser tratadas como tal. 1Timóteo 5:2 nos ensina a respeito de como devemos olhar para uma mulher: com toda a pureza. 

A palavra usada como advérbio de modo no texto deriva da mesma palavra que é usada para dizer o que o Senhor Deus é Santo, Santo, Santo (hagios). No Novo Testamento, a palavra exemplifica o conceito da purificação que é expressa na pureza moral que se exige no comportamento. Paulo então usa essa palavra para dizer: homens, tenham um olhar transformado por Deus ao olhar para as mulheres. Isso não só ensina o homem a não desenvolver pensamentos pecaminosos ao olhar as irmãs, mas nos ensina a olhar e perceber o valor imensurável que elas têm. 

Nosso olhar para com as mulheres é o mesmo que Deus exige em relação a Ele. Jesus no sermão do monte fala que os puros verão a Deus. Ele está dizendo que Deus é tão santo, que só contemplaremos a sua glória se nossos olhos estiverem conformados pela pureza. Da mesma forma, é em pureza que vemos o real valor da mulher, em toda pureza, reafirmando o quão dignas e preciosas elas são.

Todavia esse não é o único paralelo que podemos fazer entre os atributos de Deus e a dignidade feminina. Isaías 49:15, um texto muito conhecido, coloca o amor de Deus em paralelo com o amor materno; em Efésios 5.25 as mulheres são comparadas com a igreja de Cristo. O nosso amor por elas nunca se compara ao amor que elas podem desenvolver, entretanto o nosso amor pelas mulheres precisa almejar o padrão de Cristo com a sua Igreja. Um marido nunca deveria utilizar de sua autoridade ou força para ferir ou machucar sua esposa, antes deveria cuidar e protegê-la a ponto de entregar a sua vida por ela. 

Seja como mães, seja como esposas, seja como filhas, como donas de casa, como profissionais, as mulheres têm um valor inestimável. De que forma você tem olhado para as mulheres a sua volta? Elas não são propriedades, elas não são escravas, elas não são um ornamento para o ambiente, não são menores ou incapazes, não são apenas mães ou esposas, são Mulheres e precisamos olhá-las adequadamente, tratá-las com o devido valor. 

Da mesma forma, mulheres, tenham uma perspectiva apropriada de vocês mesmas. Não se enganem com a ideia de que ser diferente é ruim. Percebam-se de forma apropriada para melhor cumprirem com seu papel, para entenderem quem vocês são, para saberem como se portar. Seu valor está em ser imagem do Deus vivo, seu valor está em serem MULHERES.

Que tal conhecer as maravilhosas histórias das Mulheres da Genealogia de CristoSérie já disponível aqui no Implicações.




Comente com o Facebook: