Uma fé implicante

Uma fé implicante
13 de outubro de 2016

17:00

A Bíblia é simples. Qualquer um dos ídolos pode influir sobre o coração humano. Os ídolos podem reduzir-se parcialmente uns aos outros: por exemplo, um homem com problema de luxúria e pornografia pode ser ajudado ao reconhecer, com arrependimento, que essa luxúria expressa ira sobre um desejo frustrado de ser casado, desejo este nunca reconhecido como idólatra. Ídolos podem ser compostos em cima de outros ídolos. Mas a luxúria sexual tem sua existência primária válida também como ídolo. Uma compreensão bíblica do motivo da idolatria explica porque modelos baseados em necessidades parecem tão plausíveis, reformando completamente o modelo[1].

Ficou espantado com as estáticas ao lado? Pois é, isso tudo acomete bem debaixo do seu nariz. Ou com você mesmo. Se você ficou espantado com essas noticiais imagine com essas:

Uma nova pesquisa do Grupo Barna, feita nos Estados Unidos indica que 14% dos pastores mais velhos e 21% dos jovens pastores lutam contra a pornografia. O material, com o título de “The PornPhenomenon” foi encomendado pelo Josh McDowellMinistries e pela organização CovenantEyes, criadora de um software para “filtrar” conteúdo impróprio na internet. Foram entrevistadas 2700 pessoas, divididas em grupos específicos que incluía diferentes faixas etárias, sendo dada atenção especial aos que são pastores ou líderes na igreja. Os números de adolescentes e jovens adultos que procuram ativamente a pornografia pelo menos uma vez por mês chamam atenção: 43% dos adolescentes, 57% dos jovens de 18 a 24 anos e 45% dos entrevistados com idade entre 25 e 30[2].

Um estudo mostrou que 70% dos homens cristãos entre 18 e 24 anos, visitaram sites pornográficos a cada mês. Dos com 8 a 16 anos, 90% têm visto pornografia na Internet (ao fazer trabalhos de casa.) 25 desses dos 15 a 17-anos, 80% têm visto múltiplo pornografia[3].

É sério mesmo. A luxúria, ou podemos chamar também de concupiscência, incontinência, lascívia, libertinagem, sensualidade, libidinagem, tem invadido nossos lares e mentes como os tsunamis tremendos. E literalmente destruindo tudo que vêm pela frente. Quando se falar em luxúria entenda-se também: Fornicação, sexo fora do casamento e ao sexo sem compromisso; Adultério: Traição carnal e sentimental em relação ao cônjuge; Prostituição: Uso do corpo como forma de ganhar algo; Orgia: Sexo grupal; Ninfomania (desejo excessivo por mulheres) e a satiríase (desejo excessivo por homens); Pedofilia: Abuso sexual de crianças; Corrupção de menores: Abuso sexual de adolescentes; Zoofilia: Relação sexual entre pessoas e animais; Necrofilia: Relação sexual com cadáveres; Incesto: Relação entre parentes próximos;   Estupro: Ato sexual violento e abusivo contra alguém; Masturbação; Voyeurismo: Consiste em atiçar o desejo sexual através de se observar fotos de pessoas nuas, de vê filmes pornográficos, de vê pessoas transando, e até mesmo de vê pessoas usando roupas sensuais ou fazendo movimentos sensuais; Homossexualismo; Fetichismo: Tendência sexual que atiça a libido através de "fantasias"; Strip-tease; Sadismo sexual: A pessoa tende a sentir prazer em infringir dor ao parceiro. Neste caso a um consenso entre ambas as partes; Masoquismo sexual: A pessoa tende a sentir prazer em ser de alguma forma machucada. Neste caso a um consenso entre ambas as partes; Promiscuidade: Relação sexual sem compromisso e Assédio sexual.

Uma observação que quero fazer aqui é em relação às crianças. Não só em referência a este pecado, mas também a todos e qualquer pecado, elas não estão livres de sofrerem tentações. Todas as promessas e advertências que existem na bíblia são para todos, inclusive elas. Os infantes também são seres humanos que precisam da redenção que só o Senhor Jesus pode dá. Ao mesmo tempo em que a Palavra de Deus diz: “O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará”, também diz: “no mundo tereis aflições”. Tudo isso é válido para o adulto e para a criança. Logicamente respeitando o nível de abordagem e a capacidade de discernimento e maturidade de cada ser. Mas criança também peca e pode ter um ídolo no coração. E cuida de sua casa. Seu filho pode estar passando por isso.

Tendo dito isto, a luxúria está ou não está de forma assustadoramente presente?

A lascívia foi se instalando em nosso meio e mente de forma sorrateira. Tudo, repentinamente, passou a ser natural, aceitável, e como muitos dizem: nada de mais. Na TV se vê de tudo a todo instante. Nas revistas e outdoor nem se fala. E nas vestimentas tanto de homens quanto de mulheres? Com isso não quero partir para um extremo de dizer que a culpa para estupros sejam as roupas extremamente curtas que algumas meninas usam.  Mas quero dizer que para evitar qualquer extremo a bíblia estabelece padrões de vestimentas e comportamentos.

Por outro lado a igreja tem deixado de lado um assunto tão belo que o próprio Deus criou. O sexo. Pastores, pais e líderes tem ainda vergonha de falar sobre isso. Mas ai está de novo o problema. Sexo não é ruim. Sentir atração pelo sexo oposto não é pecado. A forma desordenada disso é que é pecado. Então vamos falar de sexo de forma certa e alertar aos nossos adolescentes e crianças e até adultos, que não possuem uma perspectiva bíblica sobre o assunto, que definitivamente sexo é uma benção de Deus.

Trabalhando com crianças passei por duas situações que especificam isso. Numa delas tive que chamar alguns juniores para tratar sobre palavras maliciosas e perguntei a eles o que eles sabiam sobre sexo, pois a conversa deles desembocou nisto. Começaram a ficar vermelhos, baixaram a cabeça e um deles nem dizia a palavra sexo. É claro que para aquele momento não esperava crianças totalmente desinibidas, mas não precisa sentir tanta vergonha e medo em falar “sexo” como se estivesse dizendo “Lúcifer”. Isso é reflexo da falta de ensinamento bíblico e diálogo em casa com os pais. Em outro momento tive que abordar este mesmo assunto com outro grupo. E um deles me disso que tudo que sabia tinha sido ensinado pelo primo. Irmãos, primo incrédulo. Cadê os pais e os líderes dessa criança?

Bem, se as crianças estão assim o que dirá de nós adultos? Sei o quanto é triste porque a Palavra diz e porque infelizmente também transitei por este mundo da luxúria, pornografia e muitas outras coisas. Masturbar-se para segurar a onda? Morrer de culpa? Pensar em casar-se para não abrasar-se? Quando se trata das origens e sintomas desse pecado é revelado significado espiritual, físico e emocional. Vive-se um distanciamento de Deus, aprisionados, sem forças ou potencial para libertar-se. Fisicamente sentem: diminuição de energia, motivação e de senso comum de direção. Além disso, raiva, vergonha, culpa também são características de quem está envolto ao ídolo da luxúria, sendo um cristão.

A exposição à pornografia tem efeitos rápidos para destruir a vida cristã. Nos primeiros contatos com ela o indivíduo já começa perder a motivação cristã movido pela culpa. Se não há uma confissão a pornografia logo se torna um pecado escravizador que o leva a adormecer os sentidos espirituais. Seus desejos se tornam totalmente dominados pelo pecado e o desinteresse pelas coisas de Deus se torna iminente. Outro sintoma que afeta as relações com a igreja é o tempo gasto em busca de novos materiais de pornografia que faz com que a pessoa gaste o tempo que seria para Deus em frente ao computador ou outro recurso visual, ou até pessoal.

Da mesma forma que a pornografia visual é uma distorção do projeto perfeito de Deus para a sexualidade masculina, fantasiar é uma distorção do projeto perfeito de Deus para a sexualidade feminina. As vezes, quando meninas assistem muitos filmes românticos é despertado nelas o desejo de viver aquele momento onde o romance, muitas vezes completamente idealizado pelo cinema, é mostrado. Logo o desejo de ter alguém é tão forte que a luxúria acaba se desenvolvendo. E o que deveria ser amor, passa a ser ídolo. Muitas querem encontrar a solução para a felicidade em um homem feito na tv: um príncipe encantado sem defeitos, ou melhor, sem pecados.

Mas para nos ajudar nesta luta veja o que Tim Stafford em seu artigo Levando a Sério a Impureza Sexual em Nossos Dias, volume 4 de Coletâneas de Aconselhamento Bíblico – Organização Palavra da Vida, nos diz:

Qualquer pessoa que tenha levado a sério a lascívia pode acrescentar algo à lista das técnicas de autocontrole. Banhos frios, exercício físico, ocupação constante, versículos memorizados: tudo isso já foi testado na tentativa de acabar com a lascívia. De modo geral, não funciona. Essas técnicas podem ajudar a colocar a lascívia de lado por algum tempo, mas certamente não a eliminam. A mente humana é tão forte que pode usar qualquer imagem para alimentar a lascívia — pense nos islamitas conservadores, que cobrem até o rosto das mulheres.

Curiosamente, não encontrei nenhuma dessas técnicas na Bíblia. No Novo Testamento, as técnicas vêm claramente em segundo lugar. O apóstolo Paulo escreveu aos Colossenses: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto. […] Pensai nas coisas lá do alto”. Depois é que ele continua: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria” (Cl 3.1-5).

Pensai nas coisas lá do alto. A salvação é oferecida em Jesus – mediante Sua vida, morte e ressurreição. Ele nos perdoa, justifica-nos e dá o Seu Espírito para nos santificar. A vida no Espírito nos transforma. Domínio próprio é parte do fruto do Espírito, resultado de uma vida cheia do Espírito. A promessa de Paulo aos Colossenses é clara e direta, além de tremendamente ampla: “Vivam pelo Espírito e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne” (Gl 5.16 NVI).

Fomos “sepultados” com Cristo e “ressuscitados” com Ele pelo Espírito. Agora, portanto, fazemos nossas escolhas de acordo com essa verdade, a ponto de nos tornarmos “servos uns dos outros” pelo amor (Gl 5.13), em lugar de servirmos a nós mesmos e à lascívia.

Você tem a luxúria como ídolo no seu coração? Conhece alguém que sofre deste pecado escravizador? Reflita nas passagens bíblicas aqui citadas, neste artigo e pense nas IMPLICAÇÕES. Aconselho você a visitar o blog conexão conselho bíblico e ler “Pureza sexual: versículos selecionados”.  Você também pode acessar http://www.just1clickaway.org/. Vai te ajudar ou servir de ferramenta para ajudar alguém. Lá existem até programas para você instalar, grátis e pago, que auxiliam na luta contra a luxúria, lembrando que sem Cristo não há programa que dê jeito. Até a próxima.

Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus. (1Co 6. 11)

LUXÚRIAX os outros pecados[4]

Luxúria e Inveja: A Luxúria se alia a Inveja quando você inveja alguém que possua como namorado(a), noivo(a), marido ou esposa, alguém que lhe atraia sexualmente. Sendo assim a pessoa tem inveja por causa disso. E tal inveja pode levar a cobiça. Essa inveja também pode se manifestar ao se invejar a vida sexual de outra pessoa.

Luxúria e Cobiça: A cobiça não se limita apenas a questões materiais, mas a outros aspectos, e neste caso, a cobiça por mulheres e homens, isso passa a ser chamar de promiscuidade. Ou seja, o indivíduo que possui relações com vários indivíduos visando apenas o prazer sexual, e nenhum compromisso ou preocupação com os sentimentos do outro.  

Luxúria e Ira: A Ira surge com a Luxúria de duas formas: a primeira, quando alguém é traído e evidentemente se chateia e se revolta pela traição, embora que dependendo do indivíduo essa ira poderá ser mais intensa ou não, no que às vezes leva até mesmo a violência ou o assassinato. A segunda forma vem do abuso, quando uma pessoa luxuriosa ou movida pela luxúria acaba violentando alguém. O estupro, pedofilia, corrupção de menores, são tipos de luxúria associado a ira. No caso da pedofilia e da corrupção de menores, mesmo que não aja violência física, pode haver violência psicológica, sob a forma de ameaças. Isso leva a vítima a ficar calada, temendo a ameaça e até mesmo a mentir para não entregar a pessoa que está abusando dela. 

Luxúria e Vaidade: A Luxúria pode ser vaidosa quando o homem ou a mulher utilizam sua beleza para atiçar o desejo sexual em outras pessoas, e ao mesmo tempo se regozijam por causa disso, pelo fato de serem almejados. A Luxúria se une a Soberba também, quando a pessoa passa a se gabar de suas proezas sexuais, contando que fez isso, fez aquilo, que teve relações com tantos homens ou mulheres e até com ambos. O luxurioso orgulhoso não se vê como culpado de seus atos, mas sente admiração pelo que faz, e em alguns casos gosta de se esnobar. 





[1]POWLISON, David. Ídolos do coração e Feira das Vaidades. Refúgio, SP. Página 19.
[2]https://noticias.gospelprime.com.br/pesquisa-14-pastores-lutam-contra-pornografia/
[3]https://s3-sa-east-1.amazonaws.com/jmm.sao.lat/Spanish/A+1+Click+de+Distancia.pdf

Comente com o Facebook: