Uma fé implicante

Uma fé implicante
25 de julho de 2016

17:00
O cenário é o seguinte: Jesus sobe ao monte com uma grande multidão que o seguia e começou a ensinar os seus discípulos dizendo que um determinado grupo de pessoas (bem-aventurados) teria o Reino dos Céus e seria consolado. Quem é esse grupo beneficiado? Todos que o seguiam?

O público é, provavelmente, dois círculos concêntricos: o círculo interior dos discípulos, e o círculo exterior dos da multidão. Ele diz no versículo 1 de Mateus 5 que ensinou aos seus discípulos. Mas olhando para o fim do sermão em Mateus 7.28 quando Jesus conclui suas palavras, as multidões se maravilhavam da sua doutrina. As multidões estavam ouvindo e que Jesus queria que eles ouvissem mesmo que o sermão fosse essencialmente dirigido aos professos discípulos¹.

O chamado de Jesus era para segui-lo de todo o coração, e isso ficava visível, pois aqueles que o mestre chamou deixaram a vida que levavam para estar com Jesus. O mestre deixa claro aos candidatos a discípulo que segui-lo lhe custaria algo (Mt 8.19-22) e que quem quisesse segui-lo haveria de tomar a cruz, metáfora muito clara da morte para o egocentrismo.²

Já no final do Sermão (7.13-27) contém o apelo a que os ouvintes se juntem ao Reino. As três parábolas ai presente: os dois caminhos, as duas árvores e as duas casas visam a multidão de seguidores que o acompanhavam por causa de Seus milagres, mas que não eram comprometidos como verdadeiros discípulos³

Bom o que aprendemos então sobre aconselhamento bíblico aqui? Primeiro o aconselhamento bíblico só tem eficiência para quem de fato é discípulo de Jesus, pois quem não tem o Espírito Santo não vai conseguir discernir as coisas espirituais. Para quem faz parte da grande multidão o primeiro passo a ser tomado é apresentar o evangelho, pois o propósito é mudar o coração e não apenas comportamento. 

Se qualquer um apresentar a bíblia como uma proposta apenas de mudança de comportamento isso não é aconselhamento bíblico. Mudança apenas de comportamento é paliativo. Aconselhamento bíblico visa mudança de vida e isso só acontece quando é anunciado que mudança real e eterna só é possível em Jesus.

Esse é o primeiro artigo da nossa série "Aconselhamento e as Bem-aventuranças. Vamos passar por cada uma das bem-aventuranças estudando o que Cristo queria nos ensinar através delas. Até a próxima!
_____________________________________________ 
1. PIPER, John. As bem-aventuranças. Disponível em: <http://thegospelcoalition.org/resources/category/sermons/a/series/the_beatitudes/&author=John+Piper>.Acesso em : 15 Mar 2013 09:03. 
2. MORRIS, Leon. Teologia do Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2003. p 163-164. 
3. PINTO, Carlos Osvaldo Cardoso. Foco e desenvolvimento no Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2008. p. 42.

por André Reis

Comente com o Facebook: