Uma fé implicante

Uma fé implicante
14 de março de 2015

17:00
“Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi, a Salomão, da que fora mulher de Urias” Mateus 1:6

Se tens acompanhado a série de estudos sobre as mulheres que aparecem da genealogia de Cristo, deve estar perguntando-se, será que tenho mesmo algo a aprender com Bate-Seba? Afinal, ela é a adúltera! E provavelmente você nunca cometeu o pecado do adultério. Pelo menos não a violação da fidelidade conjulgal. Mas, hoje gostaria de propor uma maneira mais ampla de entendermos adultério. Tendo em vista que a sua definição é propor a falsificação do fiel, corromper, “viciar dolosamente a qualidade de uma coisa, juntando-lhe outras mais ordinárias  que passam despercebidas à simples vista”¹. Concluo que diariamente temos caído em adultério, ou pelo menos temos sido seduzidas a tal.

Caímos em adultério quando colocamos algo ou alguém a frente de Deus! Aí está o nosso adultério. Quando lemos 2 Samuel 11:1-5, vimos que deliberadamente Bate-Seba adulterou, ninguém a forçou. Pelo menos a Bíblia não narra que Davi tivesse enviado seus mensageiros que a buscassem a força. Não, ela estava ali, “disponível”. Se continuarmos lendo a história, veremos que tanto Davi como Bate-Seba tiveram consequências (a morte do filho), pois todo pecado tem as suas consequências. Mas algo interessante é que mesmo sabendo que mais a frente eles são perdoados por Deus, e recebem a bênção de terem Salomão, o nome de Bate-Seba pouco é citado e sim a sentença de “a mulher que fora de Urias”, mesmo na genealogia, não é o seu nome que aparece, prestem bem atenção! O pecado do adultério é algo tão grave que a forma como ela é lembrada acaba por ser de maneira a intensificar o seu pecado.

Podemos facilmente cair em adultério, colocando nossos interesses na frente da vontade de Deus. E sempre que cometermos tal ato, um mar de desculpas e mentiras surgirão. Mas o maior problema é quando passamos acreditar nessas desculpas e mentiras, pois aí o adultério consuma-se. Por exemplo, uma universitária, é óbvio que os estudos, o estágio, o TCC ocupe o seu tempo, reduza as suas horas de almoço, as suas noites são mal dormidas pois os prazos dos trabalhos se aproximam, tudo isso é verdade, mas nada disso justifica Deus ser esquecido ou posto de lado. Uma mãe, por mais que ame seus filhos e seu marido, não os pode pôr a frente de Deus. E como é fácil fazermos isto!

“A essência da mentira de Satanás é que podemos viver a nossa vida independente de Deus”², mas sempre que tentarmos fazê-lo falharemos. “O desejo pelo ilícito cresce na proporção em que seu amor pelo Senhor diminui”³, a única forma de fortalecermo-nos é apegando-nos a Deus, é firmando os nossos laços com ele! Relacionando com aquele que jamais nos abandonará, com aquele que não irá nos trair. Que é fiel em perdoar todo aquele que se arrepende.

Bate-Seba, falhou sim, e sim ela ganhou um rótulo que mulher nenhuma gostaria de carregar. Ela tornou-se a adúltera, mas seu pecado foi perdoado e a ela foi dada a bênção de ser mãe do Rei Salomão. Salomão não foi o primeiro filho de Davi, mas Deus escolheu o filho de uma adúltera, para ser Rei. Nada fugiu do controle de Deus.

Outro segredo para não cairmos em adultério com os prazeres do mundo é o contentamento, ele não é encontrado em ter tudo o que pensamos e queremos, mas em escolher ficar satisfeita com o que Deus já providenciou. Alegre-se e seja agradecida a Deus. Agrada-te do Senhor e ele satisfará os desejos do teu coração (Salmo 37:4).

Com Bate-Seba aprendemos que a violação da fidelidade a Deus está muito mais próxima do que assumimos, mas graças pelas misericórdias de Deus, que não nos perdemos sem esperança. Através de Cristo somos reconciliadas com o Pai.
_________________________________________________________
¹ "adultério", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/adultera%c3%a7%c3%a3o [consultado em 11-05-2015].
² DeMoss, Nancy Leigh – Mentira em que as mulheres acreditam e a verdade que as liberta, São Paulo: Vida Nova, 2013
³ Peace, Martha – Mulheres em Apuros, Editora Fiel, 2010


por Gabi Rocha

Comente com o Facebook: