Uma fé implicante

Uma fé implicante
18 de dezembro de 2012

15:13
A vida cristã é fundamentalmente um relacionamento com o Criador. Nossa prioridade é fazer a vontade de Deus, que nós fez e nos dá a verdadeira vida e liberdade.  Não sabemos o que é melhor pra nós, não somos capazes de buscar o bem (Rm 3.12), mas Deus sabe o que é melhor para nós e usa todas as coisas para o nosso bem (Rm 8.28). Então saiba a resposta de Deus para o seu relacionamento com outra pessoa. 3 pontos precisam ser observados:

#1 Aprovação dos Pais
O Namoro e o noivado são coisas modernas que se desenvolveram muito em nossa cultura americana. O casamento era arranjado pelos pais, pois havia muitas conveniências envolvidas, questões econômicas, patrimoniais (para que não houvesse divisão de terras, de posses, os casamentos eram feitos, muitas vezes, dentro das próprias famílias), havia questões políticas. Porém, independente da cultura ou da época um princípio se mantém, algo bastante claro na Palavra: Filhos obedeçam a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. 
Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. Efésios 6:1-3
Deus coloca os pais como autoridades na vida de seus filhos para prepará-los para casamento e protegê-los contra burrices. Compete aos seus pais também a orientação para o amor. Esse é o primeiro passo para saber a vontade de Deus em relação ao namoro e outras questões que rodeiam nossa vida, ter os pais como filtro e orientadores das nossas decisões.

#2 Compatibilidade (o mesmo Senhor)
Algo que também precisa ser observado é o propósito de satanás de desfigurar a imagem de Deus e Sua glória, inclusive nas áreas afetivas (2 Tm 3:1-5). Estamos numa guerra espiritual (2 Co 6.14-18), e um dos alvos estratégicos do inimigo é sua vida, seu testemunho e seu futuro lar. O inimigo sabe que, se ele conseguir te derrubar, não somente anula uma vida, mas provavelmente consegue abalar a vida do seu cônjuge, filhos e descendentes. Uma das suas maiores armas, quando se trata de relacionamento, é o jugo desigual. Deus é claro, não há como questionar: 
Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? 2 Corítios 6:14.
Para justificar o namoro, que deve ter como objetivo o casamento, preciso ter certeza de que a outra pessoa tenha o mesmo Senhor, o mesmo propósito de vida, os mesmos objetivos, a mesma missão. A maioria dos jovens não estão nem aí quanto a isso!

#3 Santidade no relacionamento
O Namoro deve ser uma relação sadia e respeitosa de companheirismo, amizade e afeto entre um homem e uma mulher, em que ambos concordam e mutuamente se propõem a conhecer a personalidade, temperamento, caráter, afinidades e hábitos do outro, com vista ao casamento, e no qual examinam se não terão maiores problemas nas diversas áreas da vida, tais como: nível econômico, cultural, social, educacional, familiar, religioso, etc... Essa é a terceira orientação, a outra pessoa deve te respeitar e levar em conta sua forma de ser, de pensar e agir. Observe como ele age também com seus familiares. A harmonia e felicidade do futuro casamento dependem muito da capacidade do solteiro em lidar com pais e irmãos em casa (Pv 15.31-32; 3.11-12).
O Namoro deve ser encarado como uma preparação ao casamento. Assumido por diversão, passatempo, ostentação, exibicionismo, lascívia, ou conduzido com frivolidade, ofende a santidade Deus e a dignidade do próximo. Namorar é buscar amor; é o vestibular do casamento; é período de conhecimento; é período de relacionamento social, e intelectual, e psicológico, mas principalmente espiritual e não físico.
É vontade de Deus que Jesus Cristo esteja incluído no namoro, bem no meio de vocês dois: 
"Portanto, quer comais quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus" (1Co 10.31). "...Para a glória de Deus".
Se você está se perguntando se Deus confirmará o seu namoro a resposta só pode ser Sim. Então escute a o que Ele tem a dizer e obedeça. Somente Deus pode nos responder de forma clara o caminho correto que devemos tomar (Sl 25.5; 27.14; 30.20).

Responda a seguintes perguntas:
Seu namorado ou candidato tem uma vida de relacionamento com Deus?
Se não, a resposta de Deus é negativa. Se sim prossiga com o questionário.

O que os seus pais acham deste relacionamento?
Se eles não concordam, a resposta de Deus é negativa. Se eles não sabem, então é melhor esperar e deixar que eles conheçam mais o rapaz ou a moça. Se eles apoiam, então prossiga com o questionário.

Quanto você tem crescido em devoção a Deus?
Se ele não te ajuda a ter uma maior comunhão com Deus então  estabeleça com ele(a) tempos de Devocionais, se ele(a) aceitar vocês estão no caminho certo. Se não, a resposta de Deus é negativa.

Essas são perguntas claras e objetivas, é fácil saber qual a vontade de Deus, mas nem sempre é fácil segui-la.

"Agradeço a Ingrid pelas nossas conversas de domingo a noite que motivou este artigo. Continue sendo uma benção e vivendo pela direção do Espírito e da Palavra de Deus"

 Deixe sua opinião

Comente com o Facebook: