Uma fé implicante

Uma fé implicante
6 de novembro de 2011

13:03
“Assim como o ferro afia ferro, o homem afia seu companheiro”
(Pv 27.17)

            O Século XXI foi dominado pelo mundo virtual, onde pessoas se comunicam através de redes sociais.  As amizades se tornaram superficiais e o relacionamento pela internet nem sempre é o mesmo quando encontramos a pessoa pessoalmente. O que conta são os números de amigos e não a qualidade dessas amizades.  Com isso, a essência da amizade e do companheirismo foram perdidas. É muito mais agradável pessoas “curtirem” meu status pela net, ou sentir que tenho uma “aceitação” pelo meu grupo de “amigos” do que eles realmente acompanharem a minha “vida ao vivo”. “Online” posso ser quem eu quiser. Já no cotidiano não é possível usar “máscaras” 24 horas, em algum momento serei o que realmente sou e nem sempre esse Ser é agradável e digno de milhares “curtidas”.
            A Bíblia priva e exorta sobre amizades. Há incentivo a buscar por amizades que edifiquem,e que construam verdadeiros relacionamentos. Pv 27.17 diz que “o homem afia seu companheiro”, ou seja, o verdadeiro amigo ajuda a melhorar o seu comportamento, desempenho, sabe quando exortar, dá encorajamento e desafia. Amigo não é aquele que fala apenas o que se quer ouvir, mas exatamente aquilo que se precisa ouvir, independente da aceitação.
            As amizades influenciam tanto para o bem como para o mal. Por isso Provérbios nos adverte sobre essas amizades (Pv12.20, 13.26). O bom amigo ajuda a construir um caráter, já o perverso corrompe e destrói.

O Bom amigo:
·         Ajuda a construir seu caráter (Pv 12.20, 13.26);
·         Dá conselhos sábios (Pv 27.6,9);
·         É fiel e irmão em todas as circunstâncias (Pv 17.17; 27.10 );
·         Repreende na hora certa (Pv 27.5-6, Pv 5.11-12, Ef 4.15, 25);
·         Digno de confiança , sabe guardar segredos (Pv 11.13, Pv 25.9).

            Como pudemos ver, bons amigos são aqueles que nos edificam. Também encontramos pessoas que devemos evitar como amizades. Mas estamos rodeados por elas, seja na escola, no trabalho, na faculdade, na vizinhança, e portanto, não temos como escapar delas. Todavia não é isso que Deus espera de nós. Ele espera que brilhemos como luzeiros, irrepreensíveis nessa geração corrupta (Fp 2.12-15), e que sejamos exemplos de mudanças nas atitudes. Não devemos baixar o padrão de Deus que é Santo, Agradável e Perfeito e sim devemos testemunhar o evangelho vivo (Rm 121-2). Devemos orar por  essas pessoas, porém sem ter uma amizade íntima.

Evitar amizades íntimas com pessoas:
·         Violentas ( Pv 3.31-32, 4.14-19, 16.29);
·         Iradas (Pv 22 .24,25);
·         Libertinos (Pv 23.20,21; 28.7);
·         Rebeldes (Pv 24.21,22).
           
            Entretanto, além de construirmos verdadeiras amizades, devemos pensar se estamos cumprindo nosso papel como amigo. Será que minhas conversas têm edificado? Tenho compartilhado aflições, medos e pecados? Estou sendo um bom amigo? Tenho valorizado os verdadeiros amigos? Tenho sido um bom ouvinte? Antes de mais nada, será que estou tendo um relacionamento verdadeiro e sincero com o meu MELHOR AMIGO, JESUS? Estas são questões devem estar presentes na vida de um cristão, pois nos momentos de dor e sofrimento, amigos são mais chegados que irmãos (Pv 18.24), o verdadeiro amigo afia como ferro (Pv 27.17).
            Ano passado (2010), tive a oportunidade de cursar um ano de teologia no Seminário Palavra da Vida e servir ao SENHOR integralmente por um ano, confesso que foi o melhor ano da minha vida. Conheci várias pessoas de regiões e culturas diferentes. Pessoas que investiram em minha vida espiritual. “Afiaram-me”. Nunca imaginei que pessoas tão diferentes poderiam tornarem-se tão amigas, verdadeiros irmãos em Cristo, tendo o mesmo propósito: Agradar ao nosso SENHOR! Só o amor do nosso Deus pode fazer isso.Amigos que oraram comigo, repreenderam-me, choram quando chorei e riram quando ri. Neste ano de 2011, tenho tido uma experiência maravilhosa com essas verdadeiras amizades a distância, mas que na verdade estão presentes em cada momento da minha vida, seja pelas redes sociais, celular, visitas rápidas, mas que estão fazendo a diferença em minha vida cristã. Elas fazem-me refletir a luz de Cristo e buscar a Sua face (Sl 27.8).
            Para concluir, gostaria de deixar um trecho de uma música de Michael W. Smith, “Amigos para sempre”:

Ser amigos é pra sempre,
Como eterno é o nosso Deus
Como amigos nós diremos,
“Até breve”, não “Adeus”
Eu agora vou partir
Sob a mão do Pai seguir
E amigo nada vai nos separar.

            Que este estudo possa ajudá-lo a cultivar verdadeiras amizades através do amor de Cristo e de sua Palavra. Deus os abençoe!
____________________
[1]MERK, David J. Amigos para sempre: amizade, intimidade e a vontade de Deus. Apostila Ética pessoal I, preparada por Maria Cecília Alfamo. Atibaia. Edição revisada, 2009.
[2] ABDALLA, Tiago. Perspectiva Protestante: As Amizades e a Sabedoria.  Disponível em: < http://tiagoabdalla.blogspot.com/2011/05/as-amizades-e-sabedoria.html> Acesso em: 5 nov. 2011.

Por: Renata S. Santos, São Paulo 2011

Comente com o Facebook: