Uma fé implicante

Uma fé implicante
2 de abril de 2011

14:33

Em uma das igrejas por onde passei havia uma jovem muito dedicada a Deus. Ela era uma daquelas pessoas que estão dispostas a fazer tudo para agradar ao Senhor e servir a igreja local. Por sua dedicação e constante atividade foi escolhida entre os jovens para ser a presidente da união e desempenhou seu papel muito bem no período que esteve à frente do grupo.

Começou a namorar com um jovem também muito comprometido com a igreja, o vice-presidente da união jovem, mas esse namoro não durou muito tempo, pois era visto com maus olhos por seus irmãos e pais, que optaram por não permitir mais o namoro.

O tempo passou e essa moça começou a visitar uma igreja muito “avivada” . Lá conheceu um jovem “cheio do poder” e se encantou por ele. Entregou-se ao seu bom papo - ele "fazia o milagre acontecer", e começaram a namorar. Mesmo sendo orientada pelo pastor e sua esposa, ela se recusava a abrir os olhos para algumas coisas que estavam por acontecer. Ela escolheu o que lhe parecia melhor. Então deixou sua igreja e foi trabalhar no ministério de jovens que ele fazia parte. Durante um bom tempo não se teve noticias dela, até que se descobriu que estava grávida e sozinha, escondendo-se na casa dos pais.

Muitas lágrima. Esse foi o resultado do encontro entre ela e a esposa do pastor, que a havia aconselhado. Nenhuma palavra foi dita, pois as que já haviam sido lançadas foram apagadas por escolhas erradas.

E você como tem lidado com sua liberdade? Com as suas escolhas? Nossa vida é cercada delas e são eles que definem se somos ou não livres, se é que exista liberdade.Todos nós queremos ser independente, poder escolher onde ir, fazer as coisas sem ter que dar satisfações ou pedir permissão.
Há muitos debates, congressos e cultos com o tema liberdade em Cristo a questão é: de que liberdade estamos falando? Se somos escolhidos por Deus e Ele tem toda a nossa vida em Suas mãos que liberdade é essa? Se fossemos realmente livres não deveríamos poder pecar? Então porque somos castigados por isso?Se você já se pegou com essa duvidas eu quero convidá-los a buscar a resposta na carta de Paulo aos romanos, ele sabia que estas perguntas seriam feitas.

Faremos um voo de asa delta sobre o texto, planando até pousar no amago da nossa duvida. Não leia esse artigo sem sua Bíblia do lado. Nosso ponto de partida é o capítulo 1.16-17. E peço que gravem bem o que esses versículos falam, pois são fundamentais para o que estamos estudando. Para entendermos liberdade esse deve ser o nosso ponto de partida, pois viver pela fé determina de onde parte o nosso senso a cerca de qualquer assunto, Não poderia Paulo começar de maneira diferente. Falaremos disso um pouco mais na frente.

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. 
Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.

Começaremos nosso voo panorâmico. Os versículos 18-32 relatam o quanto à humanidade é idolatra e depravada. Mesmo todos conhecendo a respeito de Deus ignoram esse fato querendo viver a sua própria verdade. Trocam a verdade de Deus por mentiras, trocam a adoração pela cobiça. Homossexualismo, prostituição, mentira, contenda, engano, homicídio, murmuradores, pessoas que quebram seus contratos, desobedientes aos pais e mães... E etc, etc, etc... Essa é a realidade da humanidade, ontem, hoje, amanhã. O retrato do mundo é único, seja qual for a época. O mundo não é pior do que era ontem, nem vai ser pior amanhã é apenas o que se tornou por causa do pecado. Essas pessoas buscam sua forma de liberdade ao criarem seus próprios valores. Ou como diria o Franklin Ferreira, eles moldam o divino á imagem da criatura. Paulo olhando para essa imagem de uma humanidade que busca sua própria vontade, nos chama para levantar os olhos para tentar ver o fim. Ele o descreve no capitulo 2, a realidade do julgamento de Deus para com todos, não tendo ninguém por inocente. Quando no capitulo 3 voltando os olhos para o mundo podemos observar que isso tudo foi resultado de uma separação que houve do homem com Deus por causa do pecado. E não há um justo se quer, não há quem busque a Deus, todos se desviaram do ideal divino.

Estamos longes de Deus e observando a Sua lei vemos que somos todos pecadores. Pense só nos 10 mandamentos e analise a sua vida, imagine que o padrão de Deus é tão alto que ao se irar com seu irmão você o matou. Todos pecaram e separados estão da gloria de Deus. Diante desse vôo você vê uma nuvem, uma nuvem de justificação cobrindo um pequeno grupo de pessoas, e gratuitamente, só por estarem debaixo dessa nuvem, pela fé, elas tem vida eterna e seus pecados são redimidos, são livres da condenação que havíamos visualizados... No Cap 4 você olhamos para traz. Tentar ver que antes do ponto de partida na carta aos Romanos, antes até da afirmação em Habacuque, já havia homens debaixo dessa mesma nuvem, por meio da fé em Deus. E se pode perceber as maravilhas que é estar debaixo da graça que são especificadas no capitulo 5.1-11. Vemos que foi uma nuvem produzida pelo amor de Deus, que enviou o Seu filhos para justificar. Justificar pecadores, rebeldes... trazendo-os a reconciliação.

Mas nós estamos ainda tentando descobrir e entender a liberdade. Que fantástico esse passeio, não sei você agora, mas sempre que faço essa viagem eu fico eufórico. Partimos de uma afirmação, direto para uma paisagem horrível e agora sobrevoamos a uma nuvem de justificação produzida em Cristo para cobrir gratuitamente indivíduos por meio da fé. Antes de continuarmos o nosso passeio deixa eu contar uma história para vocês. Deus criou um homem e uma mulher livres. Para que exista liberdade é necessário mais de uma opção, correto?

– Adão , Eva, podem escolher o que vocês quiserem tá? E então você querem que as maçãs sejam vermelhas ou vermelhas? 
– A Deus eu acho que... Deixa eu ver... vermelhas!

Isso definitivamente não é liberdade. Deus deu uma liberdade verdadeira ao homem, no momento que lhe apresentou opções, mas o homem optou pela morte. É como se no momento que Adão e Eva pecaram um abismo se abriu debaixo dos seus pés e eles com toda a humanidade começaram a cair direto para a morte e destruição. Mas agora remidos do nosso pecado fomos tirados dessa queda livre e servimos a Deus. O capitulo 6 me deixou um pouco confuso porque vi dois senhores, mas nenhuma carta de alforria: escravo do pecado para morte (v15) ou da obediência para a justiça. Mas isso logo passa quando eu lembro que o justo viverá pela fé. A obediência a Deus é me faz desfrutar plenamente da justiça, me faz não estar na queda livre rumo a morte, mas nos verdes pastor da liberdade. Pois em Cristo não há mais condenação, se os nossos olhos estão em Deus veremos que a liberdade é fazer Sua vontade, pois a liberdade se define a partir do Eterno, e o eterno começa em Deus. Deus não pode fazer o mal, Deus é livre... logo quando obedecemos a Deus estamos mais próximos de experimentar a liberdade. 

Olhe para Romanos 8.15 e veja que o que temos em Deus não é um espírito de escravidão, para outra vez estarmos em temor, mas recebemos espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba pai. Em Cristo não somos escravos, mas livres. Se a jovem, que falei no começo do estudo, houvesse escolhido obedecer a vontade de Deus, não estaria hoje presa em suas más escolhas. Você pode continuar vivendo a sua verdade ou buscando a liberdade a sua maneira. Quero terminar apenas com uma história: um baquinho estava preso ao cais, havia um limite até onde ele poderia estar, mas tudo que ele queria era ser “livre” para ir ao auto mar. Até o dia que ele se soltou do cais e foi despedaçado pelas grandes ondas. O que o mundo busca como liberdade é apresentado nas escrituras como julgamento.

“Tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus (1:21)... ...dizendo-se sábios, tornaram-se loucos (1:22)... ...por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações (1:24)”

“Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.” 1 Coríntios 15.3-6

Comente com o Facebook: